Cérebro telefónico

 

Há dias tão estupidificantes e insólitos que uma pessoa fica assim a modos de aparelho telefónico:

Para rir: prima 1!

Para chorar: prima 2!

Para ficar assim-assim: prima 3!

Para “agomitar”: prima 4!

Para cortar os pulsos (Mas só assim de levezinho, porque logo há pilates e não dá jeito nenhum.): prima 5!

Para fazer reclamações na “Cambra”: prima 6!

Para blasfemar contra os políticos e o estado da Nação: prima 7!

Para ficar em cérebro, modo avião: prima 8!

Para ficar em modo “Cérebro, não atribuído! Deixe a sua mensagem após o sinal”: prima 9!

Para fazer um “upgrade” de cérebro: prima 10!

Para fazer “download” de cérebro, zero quilómetros: prima 11!

Para participar em eventos, ouvir música, fazer desporto, umas tainadas ou bailaricar: prima 12!

Hum…! Tecla 12, parece-me bem!

 

 

01-01-2019

Nada como começar 2019, com o Sol na cara, a fotografar e na praia.

É tão bom carregar baterias!

Laboratoriando!

Hoje é dia de laboratoriar os instantes carregados de memórias, de cheiros, cores, sons e tudo o que rima com recordação de coisas boas, caminhadas e projetos.

Às vezes, é preciso ultrapassar a barreira da tecnologia, saindo do ecrã e imprimindo as fotografias para que estas se transformem em algo efetivamente físico e memorável.  Regularmente, carregamos o nosso computador de fotografias que ficam defuntas no disco, no meio de milhares de ficheiros, arriscadas a perderem-se para todo o sempre quando a memória do mesmo nos trapaceia, ou a dos discos externos.

Por isso, hoje foi dia de meter mãos-à-obra!

À espera? Um “passepartout” pronto a receber doze visitas! O difícil? Decidir quem entra e quem fica à porta…

IMG_20181226_131954adaptmold1.jpg