Ainda sobre o Entrudo…

Facanito: uma palavra nova a adicionar ao meu dicionário.

O que é um facanito?

Ora aqui está!

DSC_3028  DSC_2949

Um “facanito” é um careto pequenito! É uma criança que se disfarça de careto, imitando os rituais dos adultos e iniciando-se assim no perpetuar da tradição.

Sabiam? Eu não!

Mas agora já sei:

De pequenito chocalha o facanito!

Entrudo chocalheiro

Depois de uma caminhada pela zona envolvente da belíssima albufeira do Azibo, em Macedo de Cavaleiros,  foi tempo de festejar o entrudo chocalheiro, em Podence. Um Carnaval à moda antiga, uma forma de perpetuar as tradições.

Sem dúvida, genuíno e único, com os seus atrevidos e coloridos Caretos a chocalhar por todo o lado.

Um dia muito bem passado. Talvez tenha sido o arco-íris, logo pela manhã, que o abençoou.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Visita a não perder!

Armando Jorge é um fotógrafo com paixão pelo retrato. A parte deste gosto pelo retrato, tem vindo a desenvolver um trabalho que tem sido excecional pelo documentar das nossas tradições, uma verdadeira homenagem às gentes e suas terras, do nosso Portugal mais genuíno. Quanto à qualidade, nem se discute! Quem percebe um mínimo de fotografia sabe da dificuldade que é fotografar em ambientes escuros, sem comprometer os trabalhos e dignificando o retratado, fazendo ainda com que este se sinta à vontade para tal.

https://www.facebook.com/portugarural/?pnref=lhc

Mais uma vez apresenta um belíssimo trabalho, desta vez de um dos Carnavais mais tradicionais, da zona Norte e interior: o entrudo na Misarela.

O entrudo é uma manifestação cultural remonta a tempos longínquos e simboliza o fim do Inverno dando entrada à…

Posted by Armando Jorge on Tuesday, February 13, 2018

 

Receita “Natal Feliz” 

Receita “Natal Feliz”
10854273_968717913142546_9046412463430186863_o
Num recipiente coloque:
300 g de paz;
150 de saúde;
1 chávena de compreensão;
6 gemas de alegria;
3 dl de amizade;
1 cálice de boa vontade;
Umas raspas de sorte;
1 colher de chá de surpresas(das boas 🙂 )
1 pitada de sorrisos.

Mexa bem todos os ingredientes até ficarem bem misturados. Reserve.

À parte bata as claras de amor em castelo. Junte-as ao preparado anterior e envolva tudo muito bem, com carinho, mas mão bem firme, até ficar uma massa fofa.
Com 50 g de convicção, unte uma forma de família, se possível da tetravó.
Polvilhe com um pouco de melancolia. Verta sobre ela a massa.
Está pronta a ir ao forno!

Leve ao forno, a 180 graus de família, durante a noite de consoada. Aguarde.
Estará pronta quando a estrela mais alta anunciar o nascimento do Menino Jesus.

Retire do forno e, enquanto arrefece, prepare uma calda de perseverança.
Num pequeno tacho coloque 250 ml de trabalho, 1 dl de paciência, 1 colher de sopa de atitude e 1 colher de chá de oportunidades. Junte-lhe 1 pau de prosperidade. Deixe levantar fervura e retire do lume.
Verta a calda ainda quente e polvilhe com açúcar de esperança.

Et voilá! Basta fatiar!

Bom apetite e… FELIZ NATAL!

(Nota: Também é muito deliciosa quando saboreada noutras alturas do ano… 🙂 )